Loading...

domingo, 24 de abril de 2011

ABRIL/2011 / O SANTO SUDÁRIO DE TURIM

A bondade e a misericórdia de Deus guardou essa relíquia para ser revelada aos homens ,através da ciência, quase 2000 anos depois da Sua Paixão. Não é ele um apelo de Nosso Senhor para esse mundo decadente que só busca os prazeres da vida e esquece o seu Amor Misericordioso manifestado na sua Paixão e Morte na cruz?



Do alto da cruz,do divino Semblante do Sudário,Ele repete para todos nós as lamentações do profeta Jeremias : " Ó Vós todos que passais pelo caminho,atendei e vede se há dor semelhante á minha dor!" ( Jer,I :12) -


SANTO SUDÁRIO , UM ELO PARA A NOSSA CONVERSÃO AO CRISTO JESUS!





O CALVÁRIO DE JESUS DE NAZARÉ





" Ele foi oprimido, porém não abriu a sua boca; como um cordeiro foi levado ao matadouro e como a ovelha muda perante seus tosquiadores, assim não abriu a sua boca". ( Profecia de Isaias).
Foi então condenado.....Começou então a atormentação: açoites, bofetadas, zombarias...

Os soldados da guarda legionária para se divertirem, entrançaram um ramo de espinheiro, formando uma coroa e a puzeram na cabeça de Jesus inerme, com os espinhos enterrando na carne.


Cobriram-no com um manto de púrpura, pois estava semi - nu, após a prisão. Jesus permanecia em silêncio,sofrendo tudo sem protestos. Fora condenado desprezando-se as leis da Thora. Mas os protestos dos rabis e fariseus não mais adiantaram. Pilatos lavou as mãos e Herodes não contestou nada.


O povo saiu as ruas para se preparar para a Páscoa dos Judeus e uma escolta romana sai também levando Jesus para a morte.


Vinha curvado sob o peso da cruz,muito grande e pesada para Ele,mostrando na fronte, caindo-lhe pelo rosto, os fios de sangue já coagulado, dos espinhos.Avançava com grande esforço, dobrado para a frente,recebendo sobre o dorso, toda vez que retardava, contínuas vergastadas do açoite,que o comandante da escolta desferia,em pura e selvagem exibição de força. Suas vestes se colavam ao corpo ferido e suarento e seus pés iam deixando marcas sangrentas no chão por onde passava.


Enquanto a notícia corria, ia-se juntando gente no percurso e havia mulheres que choravam, impotentes,pedindo misericórdia para o flagelado.


De espaço a espaço, Jesus caia sob o peso da cruz e o chicote,então, silvava e continuava a bater até que Ele, com imenso esforço, se levantava de novo. Na última vez que caiu,não mais se levantou e foram inúteis os açoites e gritarias dos soldados;estava exausto. Alguns homens do povo, apiedados, tinham querido ajudar, mas os guardas os repeliram com violência, pensando que queriam tomar o preso.


Aparece no caminho Simão de Cirene, amigo de Nicodemo e resoluto passa pelos guardas e toma a cruz sustentando-a nas mãos até que Jesus se refizesse;mas os guardas irritados jogaram a cruz nas costas de Simão e foram tangendo a ambos, sob o açoite, até o alto do Gólgota- a Praça das Caveiras - colina não muito distante dali e onde se crucificavam os condenados.


Atingindo o ponto,parou o cortejo; os soldados tomaram a cruz dos ombros de Simão, deitaram-na no chão imundo e trouxeram Jesus;despiram-no, deitaram - no sobre ela e a horrenda tortura começou com o martelo a bater, cravando os pregos nas mãos e nos pés, sob as vistas indiferentes dos soldados de escolta,em pé,olhando... O corpo torturado estremecia de dor e a angústia da morte lhe embranqueceu o rosto,mas os lábios estavam cerrados e da boca não saiu nenhuma queixa; o sangue escorria das feridas dos pregos, e os soldados brutalmente levantaram o madeiro, colocando na ponta inferior sobre o buraco do chão, socando a terra em volta,metendo cunhas,para fixá-lo melhor. E então começou a tremenda a gonia do excelso crucificado, o dia foi passando,o calor e o ventomuito fortes... foi escurecendo e o silêncio caiu pesadamente sobre a terra. As doresde Jesus aumentavam e negra espuma saia-lhe da boca. Seu corpo começaa tombar.Pede água e lhe dão vinagre. Ouve as risadas e as zombarias.


Sente o momento final e num último esforço,ergue a cabeça aos céus e diz:- TUDO ESTÁ CONSUMADO.


É levado por José de Arimatéia que o retira da cruz e cobre-lhe o corpo,envolto em um lençol, para um túmulo que acabara de construir para si mesmo, bastante amplo,com uns degraus que desciam a duas peças internas cavadas na rocha.




No sábado á noite,um grupo de essênios, chefiados por Arimatéia, seguiu secretamente para o horto. Guardas tomavam conta na porta do túmulo. O grupo entrou então, na gruta, por uma abertura existente nos fundos e foi então iniciado um estranho cerimonial: preces apenas murmuradas e prolongadas concentrações,até que aos poucos,o sepulcro foi sendo envolvido por uma névoa leitosa,dentro da qual, de súbito,brilhou violenta fulguração vinda de cima, como uma língua de fogo,que desceu sobre o corpo e o consumiu, restando ali, sobre a lage de pedra somente o lençol que o envolvia. Aquela fulguração despertou os guardas que, atemorizados se afastaram do horto;no mesmo ato, os selos foram arracados e derrubada a pedra que fechava a entrada da escavação.




No domingo quando as mulheres seguiram para fazer a limpeza do corpo de Jesus, encontraram a porta do túmulo já aberta e Jesus não estava mais lá, só o lençol ( que se tornaria o SANTO SUDÁRIO ).






A VERACIDADE DO SANTO SUDÁRIO DE TURIM





Um pano de linho de 4,36 por 1,10cm,em forma de " espinha de peixe ",onde misteriosamente está gravada como se fosse um negativo, a imagem de um homem de 1,80 m de altura, que apresenta traumatismos decorrentes de uma possível crucificação. Para os cristãos, esta é aprova inequívoca de que se trata do rosto de Cristo gravada no tecido. Porém, uma investigação aprofundada sobre a relíquia mais disputada da Cristandade,guardada na Catedral de Sao João Batista,em Turim,na Itália, desde 1578, lançaria durante décadas o debate sobre a veracidade do Sudário.


No final do século XIX, o advogadoitaliano Secondo Pia, com sua imensamáquina fotográfica que mais parecia uma geladeira,quis registrar o casamento precoce da princesa filha do Duque de Saboya,em Turim. Aproveitou para tirar uma fotografia da relíquia da família, um imenso lençol de 4,36 m de comprimento, e 1,10m de largura,que se venerava como sendo a mortalha que envolvera o corpo de Cristo no sepulcro.


Aqui começa o milagre da fotografia: no negativo apareceu o rosto de Cristo. O corpo inteiro frontal e de costas, com as marcas da flagelação e da crucificação. A figura do Cristo está invertida no pano. Ela está em negativo,de maneira que no negativo apareceu o positivo. O que era branco apareceu escuro. A partir daí começaram as investigações.



Em 1988 foram realizados testes com carbono 14 , mas a comunidade científica contestou essa experiência. Por várias vêzes o Sudário escapou da destruição, correndo o risco de desaparecer. Em 1998 ocorreu um incêndio talvez tentando destruir o Sagrado Tecido. Em 1988, a equipe de Oxford declarou que a análise do carbono14 indicava que o tecido era de origem medieval, tendo sido produzido entre os anos de 1260 e 1390. Pensava-se que era uma falsificação,mas que hoje em dia já foi descartada.O cientista russo Dimitri Kouznetsov,provou que os dados do carbono 14 estavam errados em consequência do incêndio a que o Santo Sudário esteve exposto em 1532






PRINCIPAIS DESCOBERTAS CIENTÍFICAS DA AUTENTICIDADE DO SANTO SUDÁRIO


Médico demonstra: é Cristo crucificado.





O primeiro estudo sobre o Sudário que se tornou público foi a análisemédico-científica feita pelo Dr.Pierre Barbet, em 1932. As conclusões descritas no livro " A Paixão de Cristo segundo o cirurgião,foram impressionantes.



- na face havia sinais de contusões, o nariz estava fraturado na cartilagem descolado do osso;



- no corpo foram contados 120 sinais de golpes de açoite, produzidos por dois flageladores, um de cada lado da vítima.



-o flagelo utilizado foi o que se usava no Império Romano,composto de duas ou três correias de couro,terminando em pequenos ossos de pontas agudas ou em pequenas travas de chumbo com duas bóias nas extremidades;



- duas chagas marcavam o ombro direito e o omoplata esquerdo.;



- peito muito saliente denotava a terrível asfixia suportada durante a agonia;



- os pulsos apareciam perfurados, tendo o prego perfurante secionado em parte o nervo mediano,fazendo contrair o polegar para dentro da palma da mão;



- pela a curvatura das pernas e as perfurações nos pés, tem-se a nítida impressão de que o esquerdo foi sobreposto ao direito e presos ao madeiro por um único prego;



- os dois joelhos estavam chagados;



-havia um sinal de sangramento,produzido por uma grande ferida,no lado direito do tórax;



- Por fim, havia 50 perfurações na fronte,cabeça e nuca, compatíveis com uma coroação de espinhos...




Em 1978, nos Estados Unidos os cientistas realizaram uma série de exames num total de 140.000 horas ,com fotos e microscopia eletrônica, raio-X, espectroscopia,fluorescência ultravioleta, termografia e análises químicas. Chegaram á conclusão que o desenho que aparecia no pano não poderia ter sido feita por mãos humanas. O sangue é sangue mesmo, e não pintura. O sangue é tipo AB.



O criminologista e botânico suiço,Max Frei, idenfificou células de pólem de 49 plantas diferentes presentes no tecido. Elas são originárias da Palestina,da Turquia e da Europa,exatamente as regiões percorridas pelo Santo Sudário.



Foram verificados dois objetos circulares colocados sobre os olhos. Tratava-se de duas moedas: a primeira produzida por Pôncio Pilatos entre os anos 29 e 32 d.C. A segunda produzida por Pôncio Pilatos feita em homenagem a Julia mãe do Imperador Tibério,em 29 d.C. Colocar moedas sobre os olhos do morto,para manter as pálpebras fechadas, fazia parte dos ritos funerários judaícos da época de Jesus.




MILAGROSA IMPRESSÃO TRIDIMENSIONAL DO TECIDO ( 3 D )





Dois oficiais da Força Aérea norte-americana, John Jackson e Eric Jumper,analisando o Sudário perceberam que a figura foi impressa de maneira tridimensional, de tal forma que é possível conhecer á distância entre o tecido e as diversas partes do corpo. Para a reconstituição da tridimensionalidade,utiliza-se um aparelho chamado VP-8. Jackson e Jumper tomaram uma simples fotografia do Sudário e a introduziram no aparelho.Qual não foi o seu espanto ao constatar que se constituiu uma imagem tridimensional e que esta parecia emergir gradativamente do pano como na ressureição.Eles exclamaram: Cristo ressucitou.



Fontes bibliográficas: Livro O Redentor ( Edgard Armond ); http://ciberia.aeiou.pt/ ; http://www.lepanto.com.br/dados/Sudario.htlm

















































































































Nenhum comentário:

Postar um comentário