Loading...

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

A CEPA E A IMORTALIDADE DA ALMA


Em Prolegômenos, de O Livro Dos Espíritos, os Espíritos instruiram Kardec a colocar no cabeçalho do livro uma cepa, um ramo de videira, por eles desenhada. Buscando entender a mensagem da Espiritualidade superior, lembramos que, na ceia com seus apóstolos , que antecedeu á sua crucificação, Jesus repartiu o pão e serviu-lhes vinho.
O texto bíblico descreve:
E, tomando o cálice e dando graças, deu-lho, dizendo:Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue(...).(Mateus, 26: 27-28)
Não é sem razão que Jesus tenha utilizado este símbolo. Na cultura hebraica a videira era tida como árvore sagrada que oferecia, entre outros atributos, prosperidade e proteção para aqueles que sob ela se estabelecessem. O próprio Jesus se comparou á videira: " Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador." (João, 15:1)
A arte cristã se apropriou deste símbolo. A videira, suas folhas e a própria uva estão representadas em pinturas relacionadas á vida de Jesus. Na iconografia ( área da História da Arte que identifica os símbolos e sua interpretação - Iconologia) constata-se que a videira e seus frutos são universalmente utilizados e têm vários significados, incluindo os da imortalidade, do conhecimento e da preexistência................
A cepa desenhada em prolegômenos, de O Livro dos Espíritos, é também apresentada como um conceito de imortalidade, e é interessante observarmos como os Espíritos se utilizam desse símbolo da arte cristã para definir tal conceito de forma simples.
Os Espíritos apresentam a iconologia para a videira:
Porás no cabeçalho do livro a cepa que te desenhamos, porque é o emblema do trabalho do Criador. Ai se acham reunidos todos  os princípios materiais que melhor podem representar o corpo e o espírito. O corpo é a cepa; o espírito é o licor;a alma ou espírito ligado á matéria é o bago. O homem quintessencia o espírito pelo trabalho e tu sabes que só mediante o trabalho do corpo oEspírito adquire conhecimentos.
Na interpretação da gravura, os Espíritos destacam  que o homem quintessencia o Espírito, pelo trabalho, através das reencarnações, "o trabalho do corpo ".....a cepa significa a uva que se reproduz, nascendo, extinguindo-se e renascendo.
Quando encarnado o Espírito é a "alma ou Espírito ligado á matéria, ou seja, o bago. O bago aqui representa a reencarnação do Espírito, licor que fica confinado ao corpo físico. Na concepção espirita da imortalidade nós, Espíritos imortais, evoluimos por meio do trabalho do corpo, isto é, da reencarnação(L.E. perguntas 166 a 167)
(parte do texto de Magda Luzimar de Abreu, da Revista Reformador , da FEB, outubro de 2012)

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

MISSÃO DOS ESPÍRITAS EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO






MISSÃO DOS ESPÍRITAS




Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos, porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos . (Mateus 20:16 e 19:30; Marcos 10:31; Lucas 13:30 ).




No século passado, após ter vivido no mundo corpóreo como discípulo de Paulo de Tarso, Erasto, agora integrando a equipe do Espirito de Verdade, vem dar a seguinte comunicação: Não ouvis já se agitar a tempestade que deve assolar o Velho Mundo e tragar no nada a soma das iniquidades terrestres? Ah! bendizei o Senhor, vós que haveis posto vossa fé em sua soberba justiça e como novos apóstolos da crença revelada pelas vozes proféticas superiores, ides pregar o dogma novo da reencarnação e da elevação dos Espíritos, segundo tenham bem ou mal cumprido suas missões, e suportado suas provas terrestres(ESE, Cap.XX, item 4)
Esta mensagem prenuncia assim os novos fundamentos de uma doutrina dinâmica, antidogmática e progressista, profundamente alicerçada no Evangelho de Jesus Cristo, e em cuja estrutura estão contidas as leis da reencarnação e do progresso incessante dos Espíritos.
No dia de Pentecostes, logo após a crucificação de Jesus Cristo, os apóstolos reuniram-se a fim de traçar diretrizes para que não se apagasse o facho de luz por ele trazido ao mundo. Sobre suas cabeças veio, como se fossem línguas de fogo, a chama viva de um idealismo puro, que fez com que neles dxesabrochasse a mediunidade comprobatória de que a mensagem do Cristo deveria ser levada a todos os povos, em todos os idiomas, num atestado eloquente de que a sua doutrina redentora tinha um cunho universal (Atos 2: 1-41).
Desse modo, o Espírito Erasto vem dizer que a centelha viva do mesmo idealismo está, como língua de fogo, pairando sobre as cabeças dos verdadeiros espíritas, numa demonstração viva de serem eles os depositários de um legado sublime, qual seja, o de levar a todos os quadrantes do mundo a Boa Nova do Espiritismo, doutrina do Cristianismo redivivo.
O Espiritismo encerra em sua estrutura o potencial necessário para conduzir a Humanidade ás suas relevantes aspirações. Ele não foi revelado com o escopo de suplantar ou destruir as demais religiões, mas com a finalidade superior de ajudá-las no prpósoto comum de comprovar a imortalidade da alma e de enfrentar uma luta sistemática contra as investiduras do materialismo desintegrador.
(Curso Básico de Espiritismo - Volume I - FEESP)