Loading...

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

MENSAGEM DE NATAL - O TEU CRISTO


O TEU CRISTO


Desejando a todos um Feliz Natal com votos de um Feliz Ano Novo,deixo a mensagem para nossas reflexões, lembrando que nas orações nossos espíritos podem chegar ás alturas e encontrar nosso Mestre Redentor, e nosso Pai Criador, nos abençoando, sempre!






Possuis recursos inimagináveis que estão em germe em tua alma, aguardando os teus estímulos.


Por enquanto, sintonizas com as províncias de sombra por onde transitastes, e já deverias ter-te libertado da sua presença.


Vez que outra descobres toda a força que jaz em ti, aguardando.


Jesus utilizou-se dos seus recursos para demonstrar a finalidade a que se destinavam.


Acalmou os ventos e devolveu ao mar a sua tranquilidade.


Liberou obsidiados e restituiu o equilíbrio aos obsessores.


Sarou enfermidades e recuperou doentes da alma.


Multiplicou pães e peixes e alimentou Espíritos esfaimados da verdade.


Iluminou a Terra e jamais se eclipsou.


Possuis o Cristo interno, poderoso, que é teu, mas o manténs manietado, sem ensejar-lhe ação.


Deixa-o espraiar-se através de ti.


Ele é harmonia, e tu estás desequilibrado; é amor,e tu és carencia; é claridade, e tu és sombra; é vida, e tu te debates nos grilhões da morte.


Com Ele agindo por ti, terás decisão para te negares aos pensamentos doentios que se transformam em tormentos e ações nefastos.


És, antes de tudo, o teu mundo interior, e porque ai Êle habita, todo te renovas e dás margem a que estuem as tuas potencialidades para a realização do programa de paz e vida a que estás vinculado.


( Livro:Filho de Deus - Divaldo Pereira Franco pelo espírito de Joanna De Angelis.)




Agradeçamos a Deus, por ter-nos enviado Jesus, e que neste Natal reunidos em família encarnada e espiritual, possamos render graças pelas bençãos de mais um ano que passou, e como os pastorinhos dizer:


"Glória a Deus nas alturas, e paz na Terra aos homens de Boa Vontade"






















JESUS - O ÚNICO CAMINHO QUE LEVA AO PAI









"Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida; ninguém vai ao Pai senão por mim" - ( João, 14:6)






Para ir ao Pai, através de Jesus, não basta qualificar-se cristão, ou assentar-se nos bancos de uma religião cristã. É preciso fazer obra de cristão; é necessário não apenas ler, mas sobretudo, viver os Evangelhos, aplicando-os na vida de relação.

O amor, a caridade, a fraternidade, a mansuetude e a tolerância são vocábulos universais, e todas as religiões que os consagrarem estarão palmilhando os caminhos balizados por Jesus.

(Livro: Casos Controvertidos do Evangelho - autor Paulo Alves Godoy -FEESP)

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

OS REIS MAGOS E SEUS ESTRANHOS PRESENTES



A ESTRELA GUIA




E tendo Jesus nascido em Belém de Judá, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do Oriente a Jerusalém."( Mateus 2:1)



O fato da conjunção estranha dos corpos celestes, foi também percebido pelos sensitivos das Escolas de Sabedoria, sobretudo pelos Essenios, que se mantinham em prece, vigilantes, aguardando a hora do grande evento, do qual tiveram logo informações diretas, por intermédio dos adeptos da Ordem e pelos irmãos Terapeutas, que viajavam por toda a parte.

A profecia de Zoroastro, feita na Pérsia, 3.200 anos atrás, dizia : " Oh! vós, meus filhos, que já estais avisados do nascimento do Messias, antes de qualquer povo, assim que virdes a estrela, tomai-a por guia e ela vos conduzirá ao lugar onde Ele, o Redentor - nasceu. Adorai-o e ofertai-lhe presentes porque Ele é a palavra, o Verbo, que formou os céus.

Entre os iniciados das escolas orientais, estavam os chamados Reis Magos.

E chegaram, através da estrela guia, até o local de nascimento de Jesus e trouxeram presentes: Incenso, Ouro e Mirra ( Mateus, 2:11)

Qual seria o significado desses presentes?


O incenso significa Espírito, pois, no passado, segundo crença prevalescente na época, ele era usado para balsamizar o ambiente, a fim de propiciar a manifestação de Espíritos.


O Ouro é um metal raro, de alto valor, em torno do qual os homens fazem girar as sua cogitrações. Ele tem sido o fator principal do egoísmo e o causador de muitas misérias no mundo, por isso, o Ouro simboliza o homem carnal.

A mirra é uma planta extremamenete amarga, difícil de ser suportada na boca.

Por conseguinte, os três presentes, significam que Jesus Cristo, como Espírito, encarnou num corpo material para o desempenho de uma fulgurante missão, em cujo epílogo teria que tragar a taça amarga do sacrifício do Calvário.


( Livro " O Redentor", de Edgard Armond)

OS PASTORES E A CONJUNÇÃO DOS CORPOS CELESTES









A ESTRANHA E IMPREVISTA CONJUNÇÃO DE CORPOS CELESTES









Algum tempo antes do nascimento, tanto na Palestina, como nos países vizinhos e no Oriente, correu o aviso, dado pelos sábios assírios e caldeus entendidos em astrologia, que estava se formando, em dado ponto do Zodíaco, uma estranha e imprevista conjunção de corpos celestes: aproximavam-se Júpiter, Saturno e Marte.


Isso, diziam eles, era sinal de acontecimentos graves, podendo sobrevir cataclimas e sofrimentos imprevisíveis.


Por isso, em toda parte, o povo, ansioso e atemorizado, prescrutava os céus, noites seguidas, na expectativa das desgraças anunciadas.


Mas os sacerdotes do Templo de Jerusalém sabiam que era chegada a época do nascimento do Messias de Israel e se rejubilavam esperançosos, enquanto Herodes - chamado o Grande - no seu palácio de mármore e pedra escura, de Jericó, ou em Jerusalém, remordia-se de inquietações, na suposição de que tal acontecimento lhe roubasse o trono e o poder, dados por César, poeque as esperanças e desejos do povo, bem sabia, eram para um Messias nacional, que assumisse o poder em Israel, proclamando-se rei e expulsasse os romanos invasores.


A expectativa nas terras pagãs eram profundas, Grécia, Egito, Arábia, Pérsia e Ìndia, todos sabiam que um acontecimento mudaria os destinos do mundo.


Até que enfim, numa dessas noites frias e estreladas do inverno palestino, quando na profundidade dos espaços siderais, se completava a conjunção insólita, as vibrações celestiais desceram sobre Beléme envonveram a casa humilde onde o Menino-Luz estava nascendo.


E os pastores rústicos, enrodilhados nos seus mantos, nas encostas dos montes próximos, beneficiados de incrível lucidez, viram os clarões luminosos que desciam do céu, e ouviram o coro inaudível dos Espíritos clamando, para todo o mundo:"Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade"


(Livro " O REDENTOR" - EDGARD ARMOND)


E assim, mais uma vez, as forças das trevas foram vencidas.........

NATAL - NASCE O MENINO JESUS










BETHLEEM - EUFRATES










Profecia de Miquéias


"Somente a ti, Bethleem- Eufrates, embora sejas pequena ante as muitas de Judá, de ti é que virá Aquele que será o soberano de Israel e cuja origem vem de longe da eternidade"



Foi na histórica cidade de Belém, por ter sido onde Samuel sagrou a David como Rei, que deu-se o nascimento transcendente do Messias Redentor, ao qual foi dado o nome de JESUS.





Este fato ocorreu no ano 747 da fundação de Roma e 1.º da era cristã. Contam as escrituras que o evento se deu num estábulo, o que não é de se estranhar, tendo em vista a pobreza e a exiguidade das habitações do povo daquela época, e o fato de que os estábulos nem sempre eram lugares destinados a conter o gado, servindo também de depósito de material, forragem,etc. É de se admitir que os hóspedes tenham sido acomodados em um compartimento desses, mais afastado do bulício da casa e da curiosidade dos estranhos.





Em Belém se encontram ainda vários estábulos desse tipo, que servem, ora para habitação, ora para depósito de combustível e forragem, ora ainda de acomodação a pastores nômades, quando vêm á cidade a negócios.






(Livro " O Redentor" - Edgard Armond)












































































ANUNCIAÇÃO - ANJO GABRIEL








O SONHO E O ANJO GABRIEL








A expectativa por um Messias nacional, nesse tempo,era geral na Palestina, região agravada pela pesada ocupação romana, que repercutia também, fundamentalmente no Templo, por causa da redução de autoridade e de prestígio do clero, até então dominante e arbitrário; e uma tarde, dias antes de sua indicação, estando Myriam sozinha em uma das dependências do Templo, recordando o quanto também sofrera seu progenitor com essa situação e as preces que fazia pela libertação de Israel, adormeceu e teve um sonho, ou melhor dito, uma visão ( pois era dotada de aprimoradas faculdades psíquicas) durante a qual um anjo a visitou e a saudou como predestinada a gerar o Messias esperado.

Atemorizada, guardou silêncio sobre o ocorrido, mas seus temores aumentaram quando, como era de praxe, foi escolhida pela sorte para esposa do pretendente Joseph, também pertencente á família de David, em cuja linhagem pelas Escrituras, o Messias nacional deveria nascer.

Este fato, para ela, foi uma evidente confirmação da visão que tivera e das palavras do anjo que a visitara, e seu espírito ingênuo e místico compreendeu que suas aquiescência áquele consórcio era imperativa.

A partir de sua chegada a Nazareth, e após as comemorações rituais das bodas cerimoniais que, segundo os costumes, duravam vários dias, dedicou-se aos afazeres domésticos sem poder, contudo esquivar-se á lembrança dos acontecimentos do Templo;e a vida do casal, desde o primeiro dia, ressentiu-se daquelas apreensões e temores.

Foi-se retraindo o mais que pôde da vida social e das intimidades domésticas, recolhendo-se a prolongadas meditações e alheiamentos, a ponto de provocar reprovações de conhecidos, parentes e familiares.

...por fim, sentindo-se grávida, confessou seus temores a Joseph, de cuja paternal bondade estava certa poder esperar auxílio e compreensão.

Apesar de surpreendido com a revelação, Joseph, dentro da sensatez que lhe era atributo sólido, guardou silêncio, aguardando o perpassar dos dias, mas estando evoluindo para termos finais a gestação, resolver levar a jovem espôsa para Belém ( Bethleem-Eufrates), onde ela ficaria sob os cuidados maternais de sua tia Sara.

( O "Redentor" - Edgard Armond)









JOSÉ E MYRIAN (MARIA), PAIS DE JESUS









A ENCARNAÇÃO DO ANJO PLANETÁRIO






Para a encarnação do anjo planetário, o vaso carnal escolhido e já compromissado desde antes de sua reencarnação na Terra, foi Myrian, virgem hebréia de família sacerdotal, filha de Joaquim e Ana.

Moravam em Jerusalém, fora dos muros, junto ao caminho que ia para Betânia.

Joaquim era de Belém, da tribo de Levi, da família de Aarão e Ana de Nazaréh, da tribo de Judá, da família de David. Já estavam em idade avançada quando lhes nasceu uma filha que foi chamada Myrian, cujo nome significa beleza, poder, iluminação. Com a morte de seus pais foi ela internada por parentes no templo de Jerusalém, junto ás Virgens de Sião, que nas grandes festividades cantavam em côro os salmos de Davi e os hinos rituais, pois que as jovens descendentes de tais famílias tinham esse direito e podiam ser educadas primorosamente no templo, consagrando-se, caso o quisessem, a seus serviços internos.

Dois anos depois, conforme revelações mediúnicas, Joseph, carpinteiro residente em Nazaréh, cidadezinha da província da galiléia, usando de um direito que também lhe pertencia por descender da família de David, tendo enviuvado de sua mulher Déborah, filha de Alfeu e ficado com cinco filhos menores, bateu ás portas do Templo pedindo que lhe fôsse designada uma esposa.

Nestes casos, a designação era feita pela sorte e a indicada foi Myrian.

(Livro " O REdentor", de Edgard Armond)

quarta-feira, 16 de novembro de 2011

APRENDIZES DO EVANGELHO




MOISÉS E SUA MISSÃO PLANETÁRIA


Durante 430 anos a família e os descentes de Jacó permaneceram no Egito, transformando-se em um povo numero - o povo de ISRAEL ( Exôdos 12:40). Os Egípicios, sentindo-se ameaçados, impunham-lhes pesados tributos através do trabalho gratuíto ao Faraó.

Para evitar o aumento da população israelita, o Faraó Ramsés II, em torno de 1250 a.C, determinou a morte de seus filhos recém nascidos do sexo masculino.

Jocabel, mulher de Amram, neto de Levi, deu á luz um menino e o amamentou por três meses. Temerosa de que os guardas o descobrissem, arquitetou colocá-lo no rio Nilo, num cesto forrado de betume, á hora do banho da princesa Termútis, filha de Ramsés II ( Ex 2:1 a 10). A princesa recolheu-o e adotou-o como filho.

Certamente Moisés foi um Espírito missionário de alta hierarquia, com uma difícil tarefa: libertar o povo hebreu do jugo egípcio e codificar as leis divinas de caráter universal ( o Decálogo). SUA MISSÃO TEM CARÁTER PLANETÁRIO.

Educado em palácio, iniciado nos cultos herméticos dos faraós e sacerdotes, sempre se destacou por sua personalidade de liderança. Após um incidente com um guarda egípcio, Moisés mata-o, e tem de fugir. Vai para Madiã, ao sul da Palestina, onde se casa e passa 40 anos pastoreando, também aprendendo os caminhos do deserto.

Um dia, nas imediações do monte Sinai ou Monte Horebe, o mesmo onde anos mais tarde recebeu o Decálogo, Moisés ouviu o chamamento á sua missão, quando Deus " lhe fala" do meio de uma sarça ardente - (Exôdo 3) - observação : sarça significa arbusto do deserto sem grande beleza ou qualidade.

Moisés volta ao Egito com sua família (EX 4:18-20). Reinava, então, Menerphtah, filho de RAmsés II e, tendo seu irmão mais velho, Arão, como intérprete de sua vontade junto ao Faraó, pediu a liberdade de seu povo.

Depois de muitas dificuldades e pragas terríveis, o Faraó ainda assim, não concordou com sua saída (Ex cap 7 a 11)

Face á não concordância do Faraó, o Senhor instituiu a Páscoa (Ex cap 12), na qual os hebreus deveriam marcar as ombreiras das portas com o sangue dos cordeiros imolados, assinalando sua presença para que seus primogênitos não fôssem atingidos pela praga destruidora. Disse então ao Faraó a Moisés: "Ide e servi ao Senhor, como tendes dito" (Ex 12:31).

Inicia-se o ÊXODO ( saída dos hebreus do Egito), mas arrependendo-se, o Faraó persegue-os até as margens do Mar Vermelho ( na região do Mar dos Juncos), onde os soldados egípcios são tragados pelo mar, depois da passagem de Moisés e seu povo(Ex, cap 14).

(Fonte: Curso dos Aprendizes do Evangelho - 1.º ano - FEES)

Personalidades do Espiritismo






ANTONIO WANTUIL DE FREITAS






Nasceu na cidade do Patrocínio do Muriaé, estado de Minas Gerais em 23 de Outubro de 1895, e desencarnou em 11 de Março de 1974, na cidade do Rio de Janeiro.






Diplomou-se em Farmácia em 1913, na cidade de Juiz de Fora(MG), na Escola de Farmácia e Odontologia do Instituto Granbery, casando-se em 1919 com D.Zilfa Fernandes de Freitas, com quem teve sete filhos.






Tornou-se farmacêutico- industrial e após ter assistido a uma sessão de médiuns, recebeu uma comunicação de sua mãe, com detalhes que só ele conhecia. Então passou a ser espírita, visto que até então lia muito sobre várias religiões.



Em 1944, deixa sua insdústria farmacêutica sob a direção de seus filhos, para dedicar-se integralmente ao espiritismo, do qual foi um grande defensor, incluindo várias passagens de relevância onde foi grande defensor da Doutrina Espírita, como no caso de Humberto de Campos; na justiça que queria que fichassem os dirigentes espíritas e que se fechassem todas as associações espíritas, inclusive a FEB, a fim de ditar normas para aberturas dos centros espíritas, impedindo o livre arbítrio das diretorias ( ocorrido durante o governo de Getúlio Vargas); na Sociedade de medicina e Cirurgia do Rio de Janeiro, da qual era sócio e que moveu acirrada campanha contra os espíritas, por parte de alguns membros.Wantuil Freitas, obteve sucesso em todas essas perseguições aos espíritas.



Em 1932 ingressou como sócio remido da Federação Espírita Brasileira (FEB), onde foi presidente durante 27 anos consecutivos, de 1943 a 1970.



Escreveu muitos livros, opúsculos, folhetos ,editados pela FEB e colaborou com artigos na revista REFORMADOR.



Em 05 de Outubro de 1949 colaborou na elaboração do chamado "PACTO AÚREO", realizado pela Grande Espírita do Rio de janeiro, que visava a união dos espíritas e a unificação do Movimento Espírita. Foi então autor de 18 ítens da ata a ser lavrada , sendo um deles ,a criação do Conselho Federativo Nacional, oficialmente instalado em 01/01/1950. Tinha uma capacidade de trabalho e de lúcida inteligência maravilhosa.



Se devem a ele os 4 únicos sêlos postais espíritas do mundo, sendo o 1.º sobre o Centenário do Espiritismo, em 1957, com grande repercussão internacional.



Graças aos seus esforços e de outros companheiros, nasceu a sede da FEB ( DF), num terreno doado pelo Novacap, com escritura assinada em 1985.



(Fonte: Anuário Espírita-1995 -n.º 32-Novembro)

terça-feira, 15 de novembro de 2011

OS PERFUMES - CHICO XAVIER




OS PERFUMES


Quando nos aproximávamos do Chico, era comum sentirmos perfumes a se irradiarem dele.

Como os odores mudassem ás vêzes entremeados com o forte cheiro de éter, sabia-se que eram produzidos pela Espiritualidade, que se utilizava de suas faculdades.

O apóstolo Paulo, em mensagem do capítulo XV de "O Evangelho Segundo O Espiritismo", referindo-se aos homens que praticam a máxima " Fora da Caridade não há Salvação", afirma:

- Reconhecê-lo-eis pelo perfume da caridade que espalham em torno de si.

Chico Xavier foi um dêles.
Quando os perfumes não eram materializados, em torno do medianeiro permanecia o perfume de sua aura, que era percebido por todos aqueles dotados de maior sensibilidade.

Lembramo-nos de alguns fatos relacionados a essa faculdade em nossos contatos, entre eles o de uma senhora de nossa comunidade, que,estando na fila para se despedir do médium, viu outra senhora á sua frente retirar-se com o lenço perfumado. Quando chegou a sua vez, ela colocou um pequeno lenço em sua mão e, colocando-a na mão do médium, pediu-lhe:

-Chico, me dê um pouco de perfume também.

Imediatamente ela sentiu suas mãos umidecer-se, exalando suave perfume. Emocionada ela beijou-lhe a mão, e, como sempre ocorria, Chico retribuiu-lhe o gesto.

Depois de exibí-lo aos confrades que constataram o fenômeno, ela o guardou com cuidado e carinho.

O lencinho manteve os resquícios do perfume ainda por muitos dias.

(Inesquecível Chico, de Romeu Grisi e Gerson Sestini)

domingo, 2 de outubro de 2011

LIVRO DOS ESPÍRITOS/OUTUBRO/11






RESSUREIÇÃO E REENCARNAÇÃO










"Aquele que não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus"





( João, 3:3)




Ressureição, em grego Anástasis, significa surgir, levantar, erguer, sair de um local ou de uma situação para outra. Foi traduzida para o latim como ressurectio, o ato de ressurgir, voltar á vida, reanimar-se, uma conotação já não muito fiel ao original. Daí o fato de, biblicamente falando, o termo ressureição ter sido interpretado em Mateus com o sentido de ressurgir dos mortos ( Mt,Cap.22:28,30 , 31). Exceto os saduceus que pensavam que tudo acabava com a morte, a ressureição fazia parte dos dogmas dos hebreus (ESE, cap.IV, item 4) e da sua escatologia( filosofia que busca explicar o destino último do homem: céu, inferno , ressureição, juizo final, etc.).



Naquela época, os fenômenos mediúnicos, particularmenete os da vidência e da materialização, existiam como hoje, porém as idéias dos judeus sobre esse ponto, como sobre muitos outros, não estavam claramente definidas, porque não tinham senão noções vagas e incompletas sobre a alma e sua ligação com o corpo (ESE, cap.IV, item 4).



Eles acreditavam que um homem que viveu podia reviver sem se inteirarem com precisão da maneira pelo qual o fato podia ocorrer; designavam pela palavra ressureição o que o Espiritismo mais judiciosamente, chama reencarnação.



Com efeito, a ressureição supõe o retorno á vida do corpo que morreu, o que a Ciência demonstra ser materialamente impossível, sobretudo quando os elementos desse corpo estão, desde há muito, dispersos e absorvidos (ESE, cap.IV, item 4).



Em todos os casos em que ocorreram supostamente ressureições, o Mestre enfatizou que essas pessoas não estavam mortas, mas apenas dormiam. Como naquele tempo não se conheciam mortes aparentes, causadas pela letargia ou catalepsia, essas pessoas puderam voltar á vida, passando, nesses casos, aos olhos atônitos do povo como autênticas ressureições.



O mesmo termo foi aplicado para explicar as dez aparições de Jesus, em Jerusalém e circunvizinhanças, a partir do terceiro dia ( Lucas 24:44-48;Jo 20:11-23;Jo 21: 15-22 e Atos dos apóstolos 1: 3-8) após a crucificação e durante os quarenta dias seguintes, confirmando o que estava previsto pelos profetas nas escrituras do Velho Testamento.



Aparições de Jesus:



1) ás mulheres no caminho de volta da visita ao sepulcro2) á Maria Madalena quando ficou a sós ao retornar do sepulcro 3) aos dois discípulis que iam a Emaús 4) A Simão Pedro 5) Aos discípulos todos, menos a Tomé 6) Oito dias depois, a todos os discípulos estando presente Tomé 7) A sete discípulos que pescavam no mar da Galiléia 8) Sobre um monte na Galiléia a 500 pessoas 9) A Tiago, não se sabe em que local 10) Na chamada ascensão, quando Jesus levou os discípulos de volta a Betânia e os abençoou despedindo-se deles.



Reencarnação, conforme a própria palavra indica, significa retomar, readquirir a carne novamente; tem um sentido bem mais preciso e diferente de ressureição. A reencarnação significa a volta á vida corpórea, mas em um outro corpo, sem qualquer espécie de ligação com o anterior. Não há necessidade de a alma retomar seu antigo corpo, uma vez que o Espírito tem sempre diante de sí a oportunidade de adquirir novo organismo físico, sem afrontar as leis naturais, reencarnando tantas vêzes quantas forem necessárias ao seu aperfeiçoamento espiritual.



E os discípulos lhe perguntaram dizendo: pois por que dizem os escribas que importa vir Elias primeiro? Mas Ele, respondendo-lhes disse: Elias certamente háde vir, e restabelecerá todas as coisas; digo-vos, porém, que Elias já veio, e eles não o conheceram, antes fizeram com ele quanto quizeram. Assim também o Filho do homem há de padecer ás suas mãos. Então conheceram os discípulos que de João Batista é que Ele lhes falou( Mateus 17: 10-13).



Em Mateus 17:10 a 13 e Marcos 9:11 a 13,faz-se alusão ao fato de que João Batista era Elias.



( Fonte: Livro dos Espíritos, de Allan Kardec e Curso Básico de Espiritismo 1.º ano, da FEESP)





quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Não proucureis os Gentios- O Evangelho Segundo o Espiritismo/ Set/11






" NÃO PROUCUREIS OS GENTIOS "






Jesus enviou seus doze apóstolos, após lhes ter dado as seguintes instruções: Não proucureis os gentios( pagãos, idólatras.;neste caso,os que não aceitaram um único Deus), e não entreis nas cidades dos samaritanos( povo que seguia somente o Pentateuco de Moisés e rejeitavam todos os demais livros que lhe foram anexados posteriormente e eram considerados herejes pelos judeus ortodoxos); mas ide antes ás ovelhas perdidas da casa de Israel; e nos lugares onde fordes, pregai dizendo que o reino dos Céus está próximo.




(Mateus, 10:5 a 7 )


Jesus prova, em muitas circunstâncias, que os seus ensinamentos não estão voltados somente ao povo judeu, mas que abrangem a toda a Humanidade. Se Ele disse aos apóstolos para não irem aos pagãos, não foi por desprezar a conversão deles, o que seria pouco caridoso. É que os judeus já acreditavam num único Deus e esperavam um Messias, estando preparados pela lei de Moisés e pelos profetas, para receber essas promessas. Entre os pagãos, como não houvesse base, tudo estava por fazer, e os apóstolos ainda não estavam suficientemente esclarecidos para uma tarefa tão difícil; é por isso que lhes diz:Ide ás ovelhas desgarradas de Israel, ou seja, ide semear em terreno já desbravado, sabendo que a conversão dos gentios viria a seu tempo. De fato, mais tarde, foi no próprio centro do paganismo que os apóstolos foram plantar a cruz.


Estas palavras podem também se aplicar aos seguidores do Espiritismo, para os quais os incrédulos sistemáticos, os zombadores obstinados, os adversários interesseiros, são os que eram os gentios para os apóstolos e, seguindo-lhes o exemplo, devem procurar, primeiramente, seguidores entre as pessoas de boa-vontade, que desejam a luz, e que têm um gérmem fecundo de fé, e cujo número é grande.


Não devem perder tempo com os que se recusam a ver e a ouvir, e tanto mais resistem por orgulho quanto mais se parece dar valor á sua conversão. Mais vale a pena abrir os olhos a cem cegos que desejam ver claramente, do que a um só que prefere as trevas. Disto resultará um maior número de sustentadores da Doutrina. Deixar os outros tranquilos não é indiferença, mas boa política. A vez deles chegará, quando dominados pela opinião geral, e ouvindo a mesma coisa sem parar repetidamente, ao redor deles, acreditarão aceitar a idéia voluntariamente, por si mesmos, e não influenciados por outras pessoas...


( O Evangelho Segundo o Espiritismo, de Allan Kardec, cap. 24 )






quarta-feira, 21 de setembro de 2011

EQM-EXPERIÊNCIA DE QUASE MORTE/ESPIRITISMO/LIVRO DOS MÉDIUNS/SETEMBRO/11








EXPERIÊNCIA DE QUASE MORTE e DOUTRINA ESPÍRITA





( EQM)










O têrmo experiência de quase morte (EQM) refere-se a um conjunto de sensações frequentemente associados a situações de morte iminente por hipoxía cerebral, geralmente derivadas de paradas cardiorrespiratórias, sendo as mais divulgadas o efeito tunel e a experiência fora do corpo (EFC ou OOBE, também denominada "autoscopia". O têrmo foi cunhado pelo Dr. Raymond Moody em seu livro "VIDA APÓS A VIDA", escrito em 1975.





Em seu livro, no capítulo 1, o médico discorre: "Como é que é morrer?" Esta questão a humanidade tem se perguntado desde que existem seres humanos.





Durante muitos anos, o Dr.Raymond Woody teve oportunidade de levantar essa questão diante de um número considerável de audiências. Estes grupos incluíam desde classes de Psicologia, Filosofia e Sociologia, passando por oirganizações religiosas, clubes cívicos e audiências de televisão, até sociedades profissionais de Medicina.





Com base nesta experiência, dizia ele, posso afirmar com segurança que este tópico excita os mais poderos sentimentos em gente com os mais diversos tipos emocionais e modos de vida...





..."Em resumo, deparamo-nos com duas respostas contrastantes á nossa pergunta original a cerca da natureza da morte, ambas com derivação muito antiga, e, no entanto, ambas sustentadas ainda hoje. Alguns dizem que a morte é a aniquilação da consciência; outros, com igual confiança, que a morte é a passagem da alma ou da mente para uma outra dimensão da realidade.





A doutrina espírita, no " Livro dos Espíritos, pergunta 68, nos informa que segundo os espíritos " a causa da morte nos seres orgânicos é a exaustão dos órgãos. Isto ocorre quando a relação biunívoca entre o princípio vital e a matéria se quebra, cessando a harmonia. A química consegue fazer a análise (decomposição) e a síntese ( recomposição) da grande maioria dos corpos orgânicos e inorgânicos. Contudo, ela jamais conseguiu nem conseguirá reconstituir um ser vivente, porque o prícípio vital se esvai do ser orgânico fenecido. No organismo morto, seja vegetal, seja animal, está extinto o príncípio vital; a centelha divina criadora da vida, nele não mais existe.





Continuando com o Dr.Moody, diz ele, em seu livro acima citado, que o que mais o surpreendeu desde o começo de suas pesquizas, ..."foi a grande semelhança dos relatos, a despeito do fato de que vinham de pessoas com as mais diversas religiões e diferentes circunstâncias sociais e educacionais.............as experiências que estudei recaem sobre três categorias distintas:





1) Experiências de pessoas que foram ressucitadas depois de terem sido julgadas, consideradas ou declaradas mortas pelos seus médicos.





2) Experiências de pessoas que, no decorrer de acidentes ou doença ou ferimentos graves, estiveram muito próximas da morte física.





3) Experiências de pessoas que, enquanto morriam, contaram-nas a outras pessoas que estavam presentes. Mais tarde, estas outras pessoas relataram para mim o conteúdo da experiência de morte....





....apesar da notável semelhança entre os vários relatos, não há dois deles exatamente iguais, mesmo porque alguns nem relatam que sentiram ou viram qualquer coisa diferente.





A maioria dos relatos são , segundo as pessoas envolvidas no fato, "inexprimíveis", não exite na linguagem humana palavras que possam traduzir o que sentiram ou viram ; muitos sentiram sentimentos de paz e quietude; sensações de ruídos pouco comuns, ás vêzes até desagradáveis, provocando mal estar; outros ouviam sons parecidos com os de sinos repicando ao longe, soando como harpas, sinetas; outros ouviram uma espécie de música majestosa, linda.






Muitos relatam a sensação de estarem sendo puxados rapidamente através de uma espécie de espaço escuro descrito como caverna, funil, túnel, poço, buraco, cercado, vácuo, vazio, bueiro, vale e cilindro.





...muitos relatam a sensação de estar fora do corpo físico, olhando de cima para baixo, vendo como um "espectador", seu próprio corpo ou vendo alguém desconhecido no quarto...outros relatam estar vendo um ser de luz...familiares, etc.





A Doutrina espírita nos explica, no Livro dos Espíritos pergunta 135 a, que há no homem três constituintes fundamentais a serem considerados:





a) O corpo ou ser material, semelhante ao dos animais; b) A alma ou ser imaterial, Espírito encarnado; c) O Perispírito, laço que une a alma ao corpo, princípio intermediário entre a matéria e o Espírito. Kardec usou uma comparação muito apropriada ao afirmar" Como a semente de um fruto é envolvida por um perisperma, o Espírito propriamente dito, também é revestido por um envoltório que, por analogia, se pode chamar de perispírito( L.E.pergunta 93) Esse períspirito, envoltório fluídico, semi-material que serve de elo de ligação entre a alma e o corpo, é o intermediário de todas as sensações que o Espírito recebe e pelo qual transmite sua vontade ao exterior e atua sobre os órgãos do corpo( Livro dos Médiuns, ítem 54). A alma nunca fica desligada do seu Períspirito, mesmo após a sua desencarnação.........existem propriedades do perispírito e que são as seguintes: expansibilidade e flexibilidade e durante o sono ou em estado de vigília pode tornar-se visível e até mesmo palpável. Por ser de extrema plasticidade, irradia-se para o exterioir e forma em torno do corpo material uma atmosfera, que o pensamento e a força de vontade podem dilatar ou contrair. Isso ocorre por que sendo de natureza fluídica , não se encontra preso ao corpo material e se submete sempre á vontade do Espçírito.





Outra propriedade é a assimilação, podendo assimilar os fluídos do ambiente. Se são emanações de boa natureza, o corpo recebe impressões salutares;se são más, a impressão é penosa.





Outra propriedade é em relação á densidade: menos densa nos espíritos mais evoluídos e mais grosseira nos espíritos inferiores. Possuem penetrabilidade, isto é,podem entrar em qualquer ambiente. O mundo material não lhe apresenta obstáculos de qualquer espécie.





O períspirito é o modelo organizador biológico ( A Gênese, cap. XI, ítem 11), adapta-se ás circunstâncias ambientais e é o registro das vivências do Espírito (L.E., 93 a 95; LM perguntas 50 e 51)





A morte verdadeira ocorre quando esse envoltório fluídico( períspirito) ou laço fluídico se rompe e segue com o espírito, deixando o corpo físico em definitivo.Como nos ensina no Livro dos Espíritos, capítulo III , Retorno da Vida Corpórea á Vida Espiritual, item 154, quando os liames da alma se rompem, ela se desprende e ocorre a separação da alma e do corpo.





Pode-se então concluir que nos casos de EQM, não ocorreram verdadeiramente as supostas " mortes" e que por vontade divina, as pessoas que passaram por esta experiência tiveram mais uma oportunidade de viver para reflexão sobre suas próprias vidas, pois todas, de maneira geral, trazem na mente um novo sentido para a vida, sendo que quase 85% tem experiências positivas e os que não tiveram experiências boas e relataram situações negativas, devem refletir mais sobre sua maneira de viver na Terra, suas ações, seus pensamentos, voltarem-se mais para sua parte espiritual e crescerem mais espiritualmente.





Jesus nos ensina que " a cada um será dado, conforme as suas obras". Pensemos bastante nisso e iniciemos nossa reforma íntima com urgência, pois nossa vida é eterna. A Terra é apenas uma passagem, um educandário de almas, para que através da dor, possamos nos corrigir, e alcançar o Reino de Deus. Que assim seja!





Fontes: Livro dos Espíritos, A Gênese, Curso Básico de Espiritismo, da FEESP, Vida Após a Vida,de Dr.Raymond A Moody Jr, Sociedade Espírita Auxílio Fraternidade ( http://www.auxiliofrate4rnidade.com.br/)










terça-feira, 20 de setembro de 2011

OS FILHOS DE JACÓ E A DIVISÃO DAS TRIBOS /SETEMBRO/11








OS FILHOS DE JACÓ E A DIVISÃO DAS TRIBOS








Dos doze filhos de Jacó, somente José e Benjamim eram filhos de Raquel, que morrera ao dar á luz seu segundo filho. Os outros eram filhos de Lia, sua segunda mulher e de suas duas escravas. A Tribo de Jacó era a mais poderosa de Canaã.




Seu filho José, então caçula, era muito amado pelo pai, que também muito amava sua mãe Raquel e por isso invejado pelos irmãos, estes o venderam a mercadores ismaelitas que o levaram para o Egito, onde em virtude de sua inteligência e extraordinárias faculdades mediúnicas, torna-se o ministro do Faraó.




José casa-se com Assenet, filha de Potífera, sacerdote de OM ( Gen 41:45), seu antigo Senhor , no Egito, e teve dois filhos,Manassés e Efraim.




Encontrando-se com os irmãos,faz as pazes e traz toda a família para viver no Egito, pois havia uma grande seca por toda a terra de Canaã - lá ficando por 430 anos, segundo a tradição. ( Hoje, pensa-se que foi bem menos, segundo novos estudos.)




EIS AÍ O MOTIVO PELO QUAL OS HEBREUS FORAM PARAR NO EGITO.




Ao morrer, Jacó dividiu a " TERRA SANTA" como um pai de família, em doze partes, uma para cada filho ( menos para Levi, porque ele ficou encarregado dos assuntos da Religião) dando origem ás Doze Tribos israelitas. Esses filhos emprestaram seus nomes á designação das Tribos: Issacar, Zebulum, Rubem, Judá, Simão, Benjamim, Gad, Asher, Oam, Naftali, e os filhos de José,Menasses e Efraim.




José, por ter vivido no Egito, e Levi por ser encarregado das cerimônias religiosas, da formação da tradição oral e escrita e transmissão da Fé em Deus, não deram nome ás tribos de Israel. Manassés e Efraim, os dois filhos de José é que deram nome ás tribos; o quinhão que caberia a Levi foi dividido para os dois filhos de José.




( Fonte: Curso de Aprendizes do Evangelho -1.º ano - FEESP)

Personalidades do Espiritismo/Setembro/11





PROFESSOR AMÉRICO MONTAGNINI






Um baluarte no campo de divulgação do espiritismo, no estado de São Paulo




Nascido na cidade de São João da Boa Vista,estado de São Paulo, no dia 1.º de Maio de 1897, desencarna em 1966, deixando um lugar de destaque , quer pela sua atuação incessante, quer pelo seu grande esfôrço em favor do engrandecimento da causa do espiritismo.


Foi presidente da tradicional Associação Espírita São Pedro e São Paulo, cuja séde ficava na rua Barão de Paranapiacaba, n.º 7, na capital de São Paulo, tendo passado por ela grandes vultos espíritas, dentre êles os Drs. Augusto Militão Pacheco e Pedro Lameira de Andrade.


Tanto a Associação Espírita São Paulo e São Pedro, como a Sociedade metapsíquica de São Paulo, acabaram por serem extinguidas, fundindo-se numa nova instituição, a FEDERAÇÃO ESPÍRITA DO ESTADO DE SÃO PAULO - FEESP, com um programa vasto e arrojado, cuja fundação data de 12 de Julho de 1936, e anos mais tarde o Prof.Américo exerceria a função de presidente, cargo que exerceu até a data de sua desencarnação.


Grande divulgador do espiritismo, foi também um médium de apreciáveis recursos, propiciando novas luzes aos que delas necessitavam, consolando e orientando.

sábado, 13 de agosto de 2011

MENSAGEM FRATERNA/AGOSTO/11- NOSSOS PAIS



PIEDADE FILIAL

( Evangelho Segundo o Espiritismo, cap.14)



Deus disse: Honrai vosso pai e vossa mãe, a fim de viverdes por muito tempo na Terra que o Senhor vosso Deus vos dará.

Este ensinamento é uma decorrência da lei geral de caridade e de amor ao próximo e encerra o dever da piedade filial. Deus quis mostrar que ao amor, é preciso acrescentar o respeito, as atenções, as submissões e a concordância e ajudá-los nas suas necessidades, proporcionando0-lhes o repouso em seus dias de velhice e rodeá-los de atenções como fizeram conosco em nossa infância.



Desejo a todos os pais encarnados e desencarnados um " FELIZ DIA DOS PAI"


CANTINHO DO CHICO XAVIER/AGOSTO/11






COLETÂNEA DE PRONUNCIAMENTOS


( livres de qualquer comentários ou observação, para reflexões)



Do Livro Chico e Emmanuel, de Carlos A. Baccelli Uberaba -MG








" Tenho saudades do Chico que eu já fui..."

" Sob emoção forte,imaginei que estavam eles, os " meus queridos amigos residentes no arco-íris", ali ao meu lado, pela primeira vez reunidos no piso de uma casa terrestre. O frio na peça em que que nos achávamos reunidos dera lugar a um calor suave que me envolveu, e reconheci que esse aquecimento inesperado partia deles em minha direção...Com mais segurança, conscientizei-me no meu próprio corpo, a fim de ler a mensagem recebida para os circunstantes. ( Chico refere-se á primeira mensagem mediúnica recebida por ele, em 08 de julho de 1927). Mais de meio século transcorreu sobre aquele painel inesquecível. Os janeiros repetidos somaram alegrias e provas, dificuldades e esperanças..."

" Eu me sinto feliz de ser obstinadamente médium...Eu gosto de ser médium, gosto desta palavra...Quero morrer médium...É tudo o que eu quero e sempre quis ser..."


Saudades de voce, querido irmão.!

O LIVRO DOS ESPÍRITOS/ DA ALMA-MATERIALISMO/AGOSTO/11



DA ALMA / MATERIALISMO




Alma é um espírito encarnado, segundo a definição dos próprios Espíritos, na resposta á questão 134 do L.E.( Livro dos Espíritos). Allan Kardec, na Introdução da referida obra, no ítem II, chama alma ao ser imaterial e individual que em nós reside e sobrevive ao corpo. Portanto, alma é o princípio inteligente que habita o corpo físico, utilizando-o como instrumento de sua atividade no mundo material, enquanto que Espírito é a alma do desencarnado, mera questão de terminologia para facilitar o entendimento. Kardec, no comentário á questão 135a diz que o Homem é formado de três partes essenciais:




a) O corpo - ou ser material, semelhante ao dos animais e animado pelo princípio vital;


b) A alma - Espírito encarnado, do qual o corpo é a habitação;


c) O períspirito - princípio intermediário, substância semi-material, que serve de primeiro envoltório ao Espírito e une a alma ao corpo.


Na pergunta 76 do Livro dos Espíritos, Kardec pergunta aos Espíritos: Como definir os Espíritos? Resposta - Podemos dizer que os espíritos são os seres inteligentes da Criação. Eles povoam o Universo, além do mundo material.



Materialismo é a corrente doutrinária que afirma existir somente a realidade material e nada mais do que ela. Segundo seus adeptos, a realidade é exclusivamente de natureza material, sendo a " espiritual" apenas uma propriedade ou um produto da matéria. A alma é para eles um efeito e não uma causa. Deste ponto de vista, os sêres orgânicos nada mais seriam do que simplesmente ação da matéria. A inteligência, o pensamento, seriam apenas decorrências de propriedade da matéria.


Esta posição doutrinária leva os cientistas á busca da verdade segundo os padrões científicos de conhecimento do homem encarnado, portanto bastante limitados, independentemente da crença em Deus. No entanto, muitos que se proclamam adeptos dessa corrente doutrinária, são de boa formação moral, embora para eles Deus e a vida futura não existam.


O homem materialista, por lhe faltar a compreensão do futuro, procura sempre sua felicidade nos bens perecíveis e efêmeros. No entanto, embora a felicidade não esteja neste mundo, aqui encontra-se o campo infinito de realização e desenvolvimento do seu potencial.


( O Livro dos Espíritos; Curso Básico de Espiritismo, da FEESP)













O EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO/ADULTÉRIO/AGOSTO/11





ADULTÉRIO E PERDÃO



Não Julgueis para não serdes julgados; pois sereis julgados conforme houverdes julgados os outros; e aplicar-se-á a vós,na mesma medida , aquilo que aplicastes contra eles.( Mateus, 7:1 e 2)


Então os escribas e os fariseus levaram-LHE uma mulher que havia sido surpreendida em adultério, e fizeram-na ficar de pé no meio do povo e disseram a Jesus: Mestre,esta mulher acaba de ser surpreendida em adultério. Moisés nos ordena na Lei, apedrejar as adúlteras. Qual é, portanto, vossa opinião a respeito disso?Eles diziam isso querendo tentá-Lo, a fim de ter do que acusá-Lo. Mas Jesus, abaixando-se, escrevia com seu dedo na areia. Como continuassem a interrogá-Lo,levantou-se e lhes disse:Aquele dentre vós que estiver sem pecado lhe atire a primeira pedra. Após isso,abaixou-se de novo e continuou a escrever na areia. Mas,eles, o tendo ouvido falar assim, retiraram-se, um após o outro, os velhos saindo primeiro. E assim Jesus permaneceu sozinho com a mulher, que estava no meio da praça.


Então Jesus, levantando-se de novo, lhe disse: Mulher, onde estão os vossos acusadores? Ninguém vos condenou? Ela Lhe disse: Não Senhor. Jesus lhe respondeu: Eu também não vos condenarei. Ide e, no futuro, não pequeis mais. ( João, 8:3 a 11 )


No Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 10 - Bem Aventurados Os Que São Misericordiosos, encontramos essa passagem bíblica ,de Jesus. Os espíritos nos ensinam que Jesus faz do perdão um dever, pois não há ninguém que dele não tenha necessidade para si mesmo, e nos ensina que, não devemos julgar os outros com tanta severidade, condenando nos outros o que em nós iríamos perdoar.


Quando censuramos os outros, temos dois motivos para isso: 1) reprimir o mal ; 2) desacreditar a pessoa cujos atos estamos criticando( esse motivo provém da maledicência e da maldade, e por isso não tem desculpa.)


É bom observarmos que Jesus não condena a mulher adultéra, mas faz uma importante recomendação: vá e não peques mais.Essa orientação do Mestre indica que todos temos oportunidades de fazer nossa reforma interior e não errar mais naquilo que já sabemos que é contrário ás leis divinas.


No Evangelho Segundo o Espiritismo, capítulo 8,Bem- Aventurados Os Puros de Coração, ítem 5, temos a seguinte recomendação de Jesus: ..." Vos aprendestes o que foi dito aos antigos: Não cometereis adultério. Mas eu vos digo que qualquer um que tiver olhado para uma mulher cobiçando-a, já em seu coração, cometeu adultério. ( Mateus, 5:27 e 28).


A palavra adultério não deve ser entendida aqui no sentido que lhe é próprio, mas sim num sentido mais geral. Jesus empregou-a , muitas vezes, como um sentido mais amplo se referindo ao mal, ao pecado, e todo e qualquer mau pensamento, como ocorre por exemplo, nesta passagem: Por que se alguém se envergonhar de mim e de minhas palavras dentre esta geração adúltera e pecadora, o Filho do Homem também se envergonhará dele, quando vier acompanhado dos santos anjos, na glória de seu Pai ( Marcos, 8:38).


A verdadeira pureza não está apenas nos atos; está também no pensamento, pois aquele que tem puro o coração, nem mesmo pensa no mal. Foi o que Jesus quis dizer ao condenar o pecado, mesmo em pensamento, porque é um sinal de impureza, e de que é precisa esforçar-se mais para alcançar o progresso moral e espiritual, por consequência. Aquele que se compraz com o mal é porque o mal o satisfaz. O que só pensa em fazer o mal, já está em vias de progredir e o que nem pensa no mal, já realizou um progresso.


É bom lembrarmo-nos de que em qualquer situação dessas, o perdão das ofensas deve ser praticado ,pois perdoar as ofensas é mostrar que se tornou melhor do que se era antes.( E.S.E. cap.10,ítem 15)

















quinta-feira, 11 de agosto de 2011

O LIVRO DOS MÉDIUNS/ AURA HUMANA/AGOSTO/11






A AURA




A aura é o envoltório fluídico do homem, fruto das irradiações e expansões de seu períspirito. Kardec nos coloca que " cada ser tem o fluído próprio,que o envolve e o acompanha em todos os seus movimentos, como a atmosfera acompanha e envolve cada planeta. A irradiação dessas atmosferas individuais é variável, quanto á extensão; no estado de repouso completo do Espírito, pode ser de alguns passos, mas agindo á vontade, pode estender-se indefinidamente" ( O.P., " Introdução ao Estudo da Fotografia e da Telegrafia do pensamento"). Para o estudo da aura humana, convém fixar os seguintes detalhes: 1) além do corpo físico, há uma camada leitosa, emanação do próprio corpo. É a aura material, á qual se dá o nome de duplo etéreo, duplo etérico, ou aura vital, comum a todos os sêres orgânicos, existindo,portanto, nos vegetais, nos animais e nos homens. Esta aura material,emanação do nosso corpo físico, interpenetra-o, ao mesmo tempo em que parece dele emergir, emitindo, continuamente, uma emanação energética que se apresenta em forma de raios ou estrias que partem de toda a sua superfície.





2) interpretando e exteriorizando a aura material, nos homens existe uma camada fluídica, emanação do perispírito, em forma oval, formando a aura humana propriamente dita." Todos os seres vivos, dos mais rudimentares aos mais complexos se revestem de um halo energético que lhes corrrespondem á natureza. No homem, contudo, semelhante projeção surge profundamente enriquecida e modificada pelos fatores do pensamento contínuo que, em se ajustando ás emanações do campo celular, lhe modelam, em derredor da personalidade, o conhecido corpo vital ou duplo etéreo de algumas escolas espiritualistas, duplicata mais ou menos radiante da criatura.


De acôrdo com Kardec," os movimentos mais secretos da alma repercutem no envoltório fluídico" (G.E., Cap;15, ítem 15); é assim que uma alma pode ler outra alma como um livro, vendo o que não é perceptível aos olhos do corpo. Constitui, portanto, a aura humana a fotosfera psíquica do homem, apresentando cores variadas, segundo a onda mental emitida, retratando-lhe os pensamentos em cores e imagens, conforme os objetivos escolhidos, nobres ou deprimentes.André Luiz cita um aparelho do plano espiritual, o " psicoscópio", que se destina á auscultação da alma, com o poder de definir-lhe as vibrações e com capacidade para efetuar diversas observações em torno da matéria [...] a moralidade, o sentimento, a educação e o caráter são claramente perceptíveis, através de ligeira inspeção " ( Nos Domínios da Mediunidade, cap 2, pág.21-22).


A aura, finaliza André Luiz, é portanto, a nossa plataforma onipresente em toda a comunicação com as rotas alheias,ante câmara do Espírito, em todas as nossas atividades de intercâmbio com a vida que nos rodeia, através da qual somos vistos e examinados pelas Inteligências Superiores, sentidos e reconhecidos pelos nossos afins, e temidos e hostilizados ou amados e auxiliados pelos irmãos que caminham em posição inferior á nossa.


( Livro Curso de Educação Mediúnica 1.º ano - edições FEESP)






O ESPIRITISMO NA ARTE/AGOSTO/11










O ESPIRITISMO NA ARTE








A MÚSICA NO PLANO ESPIRITUAL







JULES MASSENET




1842/1912




Foi um grande compositor francês nascido em Montand, Saint-Etiene, em Paris, na França, e que compôs lindíssimas músicas, para óperas ( 26 ), balés, suites sinfônicas, concêrtos para piano.


Sua arte era encantadora, sensível, e possuia o dom da invenção melódica e o senso real do teatro.


Autor de Manon ( 1884), Le Cid ( 1885), Werther ( 1892), Dom Quixote ( 1910), Thaís ( 1894), O Jogral de Notre Dame,e outros. O espírito de Massenet( que se apresenta como " O ESTETA", ao grande discípulo de Karde, León Denis, nos revela a seguinte lição: ...que o objetivo essencial da arte, é a busca e a realização da beleza; é, ao mesmo tempo, a busca de Deus, uma vez que Deus é a fonte primeira e a realização perfeita da beleza física e moral.


Quanto mais a inteligência se purifica, se aperfeiçoa e se eleva,mais se impregna da idéia do belo. O objetivo essencial da evolução será, portanto, a busca e a conquista da beleza, a fim de realizá-la no ser e em suas obras. Tal é a regra da alma em sua ascensão infinita.


Hoje falaremos sobre a música no espaço, considerada como meio de transmissão do pensamento artístico."... Quando na Terra uma nota é tocada em tom maior, ela lhes transmitirá uma sensação de alegria plena e absoluta. Se ela é menor, ao contrário, seu cérebro experimentará uma sensação de profundidade, algumas vêzes de tristeza ou de grande dor, conforme a modulação dos acordes e o número de notas tocadas.


Portanto, a esses dois grandes princípios,maior e menor, correspondem duas sensações: alegria e dor. Entre essas notas há uma infinidade de colmbinações que, por isso mesmo, formarão imagens. Assim como o escultor forma uma imagem virtual, o grupo de notas, os acordes, segundo sejam modulados em maior ou menor, formarão por seu estilo uma série de pensamentos que se tornam mais ou menos compreensíveis de acordo com a evolução dos tipos de música.


Eis, portanto, um ponto estabelecido: as artes plásticas formam imagens e a arte das ondas musicais forma, igualmente, imagens, porém imagens mais sutis, cujo conteúdo é mais frágil e a compreensão mais delicada.


Conforme a evolução dos seres, essa compreensão será mais profunda ou mais superficial. É por isso que frequentemente no globo terrestre um ser de cultura média será impressionado, enquanto que seu cérebro permanecerá refratário quando ele quizer utilizar o alfabeto para expressar seus pensamentos por meio das ondas que vocês classificam como musicais.


No espaço, como vocês sabem,não possuímos instrumentos; são nossos perispíritos que recebem as ondas transmissoras do pensamento musical. Também será preciso impregnar diretamente os seres que devem receber ondas dessa natureza. Assim como os outros artístas, o espírito evoluído no sentido musical, e que pode experimentar sensações infinitamente suaves e sutis, pode também transmití-las com o auxílio dos seus instrumentos, e por intermédio do cérebro de um dos seus intérpretes. ( O Esteta).


( trechos do livro " O ESPIRITISMO NA ARTE", psicografia de León Denis( discípulo de Kardec), pelo espírito O ESTETA ( Massenet).






sábado, 6 de agosto de 2011

Aprendizes do Evangelho/Agosto/11





OS SONHOS DE JACÓ




Interpretação da Doutrina Espírita





Jacó era filho de Isaac ( um dos filhos de Abraão) e filho de Rebeca, irmã de Labão. Tinha também um irmão gêmeo que se chamava Esaú, e que tinha nascido primeiro que Jacó, e portanto tinha direito á primogenitura e trocou-a por um prato de lentilhas com Jacó.



O pai de Jacó envia-o á cidade de Harã, onde morava seu tio Labão, para escolher uma espôsa hebraica.



Durante a viagem, Jacó teve o famoso sonho da escada que se erguia da Terra e os anjos de Deus subiam e desciam por ela. A doutrina espírita nos explica que esse sonho representa o processo de EVOLUÇÃO DOS ESPÍRITOS na Terra), ou seja, é o processo da REENCARNAÇÃO, onde os espíritos encarnados regressam á pátria espiritual, subindo os degraus da evolução, e retornam, descendo á Terra para novos estágios de progresso espiritual.

Em Harã, conhece sua prima Raquel por quem se apaixona. Serve a Labão por sete anos para recebê-la em casamento,mas Labão,astuciosamenete, em lugar de Raquel lhe deu Lia, a irmã mais velha. Depois de uma semana nupcial, Labão entregou-lhe também Raquel, mas Jacó precisou servir-lhe por mais sete anos.
Na sua volta para Canaã, Jacó teve outro sonho, em que lutou com um anjo até o amanhecer. Como não foi vencido, o anjo deu-lhe o nome de ISRAEL e lhe disse que esse seria o seu nome daí em diante, pois dos seus descendentes ( que seriam 12 ) se originariam as 12 tribos de Israel. Na divisão de Canaã,cada um dos quinhãos recebeu o nome de um dos filhos de Jacó. Esta é a origem do povo de Israel.


Esse sonho, segundo São Jerônimo ( um estudioso e compilador da 1.ª Bíblia em latim), é uma miragem do combate espiritual e perseverante do homem com as suas inferioridades (I Reforma Ìntima, como hoje chamamos).



Importante lembrar que todos nós, segundo a Doutrina Espírita, precisamos segundo Jesus, " Orar e Vigiar" nossos pensamentos, pois os bons pensamentos atraem para junto de nós os bons espíritos que nos aconselham para uma vida no bem; os nossos maus pensamentos, atraem espíritos que se comprazem no mal e se aproveitam desses momentos de nossas fragilidades, para nos influenciar para o mau caminho.



A oração somente não os afasta,é preciso termos uma vida pautada na prática incessante do bem, no estudo da doutrina de Jesus através doutrina espírita, e na fé e na coragem para resistirmos. O Espiritismo nos abre a mente para essa nova visão, a fim de alcançarmos o progresso moral e intelectual.
(O Livro Curso dos Aprendizes do Evangelho, 1.ºano, edição da FEESP)

Personalidades Espíritas/Agosto/11

BEZERRA DE MENEZES


29 de Agosto de 1831- comemoração


O médico dos pobres e patrono espiritual do Brasil


"Fraternidade dos Humildes"

corrente espiritual de cura




Adolfo Bezerra de Menezes Cavalcanti nasceu na Freguesia do Riacho, hoje Jaguaretama ( Ceará- Brasil). Educado dentro de padrões morais rígidos. formou-se em 1856 pela FAculdade de Medicina do Rio de Janeiroe tornou-se mais que um médico: " missionário" e dizia sempre " Um médico não tem o direito de terminar uma refeição, nem de perguntar se é longe ou perto, quando um aflito qualquer lhe bate á portra". Para ele, o doente representava o anjo da caridade que lhe vinha fazer uma visita e lhe trazia a única moeda que podia saciar a sede de riqueza do Espírito. Seus gestos de bondade e sua infatigável compaixão tornaram-se lendários.


Por alguns anos de sua vida dedicou-se á política e a publicações em jornais importantes do Brasil Império,mas em 1886 converteu-se ao Espiritismo ( sua origem era católica) depois de apreciar um livro que recebera de um amigo e que era O LIVRO DOS ESPÍRITOS, de Allan Kardec, e sentiu que já conhecia tudo o que lera. Passou então a dedicar-se ao Espiritismo, tornando-se anos mais tardepresidente da Federação Espírita Brasileira (FEB), hoje com séde em Brasília.


Mas importante é destacar asua humildade, carinho e abnegação na cura dos mais necessitados e que precisavam curar-se de tantas doenças e não tinham como lhe pagar. Não cobrava nada dos pobres e dava-lhes o que precisavam, comida, remédios, cobertores e apalavra amiga. Viveu em extrema pobreza, vivendo de doações e de alguns amigos que pagavam as consultas .


Em 1900 foi acometido de um derrame cerebral,em 11 de abril, quando então desencarna no Rio de Janeiro, onde viveu com sua espôsa.


Já na espiritualidade, é recebido diretamente por Maria de Nazaré,a quem se devotou toda a sua vida, e pede á mãe santíssima para continuar a cuidar dos doentes , na Terra, o que lhe foi concedido. Hoje juntamente com as Caravanas Socorristas de Maria,vem com sua "Fraternidade dos Humildes", socorrer os doentes, operando verdadeiras curas espirituais.


Oração de Bezerra de Menezes


Nós vos rogamos, Pai de Infinita Bondade e Justiça,


As graças de Jesus Cristo,através de Bezerra de Menezes


e suas legiões de companheiros.


Que Eles nos assistam, Senhor Deus,


Consolando os aflitos, curando aqueles que se tornem merecedorres,


confortando aqueles que tiveram suas provas e expiações a passar,


esclarecendo aos que desejarem conhecer a " Verdade "


E assistindo a todos quantos apelam ao vosso infinito Amor.


Jesus , Divino portador da graça e da verdade,estendei vossas mãos dadivosas


em socorro daqueles que vos reconhecem o despenseiro fiel e prudente;


Fazei-o, Divino Modelo, através de vossas legiões consoladoras,


de vossos Santos Espíritos, a fim de que a fé se eleve, a esperança aumente,


a bondade se expanda e o amor triunfe sobre todas as causas.


Bezerra de Menezes,médico espiritual, apóstolo do bem e da paz,


amigo dos humildes e dos enfermos, movimentai as vossas falanges amigas


em benefício daqueles que sofrem, sejam males do corpo físico ou da alma.


Santos Espíritos, Obreiros de Senhor, derramai as graças e as curas


sobre a humanidade sofredora, a fim de que as criaturas se tornem


amigas da paz e do conhecimento, da harmonia e do perdão,


semeando pelo mundo os divinos exemplos de Jesus Cristo.


Assim seja!


( orar de preferência ás 18 h e ás 21 h, horário de Maria)

quarta-feira, 20 de julho de 2011

Mensagem Fraterna / Julho/11





O MODELO PERFEITO




Jorge Leite de Oliveira








Não fique inquieto, querido irmão,


Vença a incerteza na paz da oração.


Não fique insegura,querida irmã,


No Espiritismo está a fé cristã.


Supere, com Jesus, a tentação,


A paz é o fruto da sublimação.


Não guarde mágoas,nem odeie ninguém


Só é feliz quem vive para o bem.




Ajude sempre,seja tolerante,


Jamais revide ao insulto ignorante.


Se precisa tratar questão complexa,


Mantenha a calma, não aja com pressa.


Se a dúvida assalta seu coração,


Recorra ao Cristo, nossa solução.


Pense em Jesus, antes da decisão


E entregue a Ele toda a sua ação.


Pense como Jesus está pensando,


Fale como Jesus está falando,


Sinta como Jesus está sentindo,


Aja como Jesus está agindo


E sentirá ser puro seu pensar


E agirá tão bem quanto falar


E falará tão bem quanto sentir


Num só sentir, pensar, falar e agir.


( Inspirado na mensagem " O Modelo", do livro "Encontro Marcado", psicografado por Chico Xavier. Autor Espiritual Emmanuel - FEB - revista"Reformador"- fev.2010)


domingo, 17 de julho de 2011

CANTINHO DO CHICO XAVIER/JULHO/11



ATENDIMENTOS NA FILA


Nas ocasiões em que aguardávamos a vez na fila, que se formava,para abraçar o Chico, presenciávamos atendimentos que se seguiam em cumprimentos. Alguns deles se diferenciavam por serem menos comuns.

Certa feita, um senhor, que demonstrava aflição pelo tamanho da fila atrás de si e pela inquietação daqueles que esperavam sua vez, ouviu do medianeiro, que lhe sorria:

-Não se preocupe, meu amigo, esta fila não acaba nunca...

DISTRIBUIÇÃO DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS

Periodicamente o Grupo Espírita da Prece,em Uberaba,onde Chico trabalhava, realizava distribuição de gêneros alimentícios. Certa vez vieram avisar o Chico sobre uma senhora que estava na fila para receber seu pacote e não precisava de donativo, pois ela possuia casa de aluguel. O médium,sem se perturbar, disse á denunciante:

-Não se preocupe, minha filha, ela está se preparando para a próxima encarnação...

( Do Livro " Inesquecível Chico", de Romeu Grisi e Gerson Sestini - edit.GEEM)

sábado, 16 de julho de 2011

LEI DE DESTRUIÇÃO/O LIVRO DOS ESPÍRITOS/JULHO/11






FLAGELOS DESTRUIDORES




No livro dos Espíritos encontramos respostas sobre o porque da humanidade passar por tantos desastres naturais, que levam á morte coletiva, á miséria, á perda de bens materiais, etc. Vejamos:



L.E.,pergunta 737. Com que fim Deus castiga a Humanidade com flagelos destruidores?



- Para fazê-la avançar mais depressa. Não dissemos que a destruição é necessária para a regeneração moral dos Espíritos, que adquirem em cada nova existência um novo grau de perfeição. É necessário ver o fim para apreciar os resultados. Só julgais essas coisas do vosso ponto de vista pessoal, e as chamais de flagelos por causa dos prejuízos que vos causam; mas esses transtornos são frequentemente necessários para fazerem com que as coisas cheguem mais prontamente a uma ordem melhor, realizando-se em alguns anos o que necessitaria de muitos séculos.



Na pergunta 740, do L.E. - Os flagelos não seriam igualmente provas morais para o homem, pondo-os ás voltas com necessidades mais duras?



- Os flagelos são provas que proporcionam ao homem a ocasião de exercitar a inteligência, de mostrar a sua paciência e a sua resignação ante a vontade de Deus, ao mesmo tempo que lhe permitem desenvolver os sentimentos de abnegação, de desinteresse próprio e de amor ao próximo, se ele não for dominado pelo egoísmo.



Muitos flagelos são consequências da imprevidência do homem, mas os flagelos que afligem a humanidade, são de natureza geral e pertencem aos desígnios de Deus.( TSUNAMIS, TERREMOTOS, MAREMOTOS, ETC).



Há dois tipos de destruição: a destruição natural e a destruição abusiva.A destruição natural opera-se com o objetivo de manter o equilíbrio dos ecosistemas, como por exemplo,na morte natural dos corpos em velhice,nos incêndios naturais das matas que dizimam pragas, na erupção dos vulcões, nos terremotos, nas cheias dos rios, que regulam os ciclos de renovação da vida.



Já a destruição abusiva,que exprime faces diferentes da violência,é aquela provocada de forma predatória, com fins egoísticos, a pretexto de prover o sustento alimentar ou para satisfazer paixões e necessidades supérfluas, a exemplo do consumismo desenfreado,das caçadas de animais,das touradas, do assassinato, do suicídio e do aborto ilícito, das guerras,etc.



As leis divinas são perfeitas! Á medida que o homem atingir a evolução intelectual e moral, a necessidade de destruição tende a desaparecer,á proporção que adquira senso moral, desenvolvimento da sensibilidade e tome aversão á violência.



(Fonte:O Livro dos Espíritos Capítulo VI - Lei da Destruição e Revista " REFORMADOR" - FEB - fevereiro de 2011, artigo de Christriano Torchi)