Loading...

segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

A CEPA E A IMORTALIDADE DA ALMA


Em Prolegômenos, de O Livro Dos Espíritos, os Espíritos instruiram Kardec a colocar no cabeçalho do livro uma cepa, um ramo de videira, por eles desenhada. Buscando entender a mensagem da Espiritualidade superior, lembramos que, na ceia com seus apóstolos , que antecedeu á sua crucificação, Jesus repartiu o pão e serviu-lhes vinho.
O texto bíblico descreve:
E, tomando o cálice e dando graças, deu-lho, dizendo:Bebei dele todos; porque isto é o meu sangue(...).(Mateus, 26: 27-28)
Não é sem razão que Jesus tenha utilizado este símbolo. Na cultura hebraica a videira era tida como árvore sagrada que oferecia, entre outros atributos, prosperidade e proteção para aqueles que sob ela se estabelecessem. O próprio Jesus se comparou á videira: " Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador." (João, 15:1)
A arte cristã se apropriou deste símbolo. A videira, suas folhas e a própria uva estão representadas em pinturas relacionadas á vida de Jesus. Na iconografia ( área da História da Arte que identifica os símbolos e sua interpretação - Iconologia) constata-se que a videira e seus frutos são universalmente utilizados e têm vários significados, incluindo os da imortalidade, do conhecimento e da preexistência................
A cepa desenhada em prolegômenos, de O Livro dos Espíritos, é também apresentada como um conceito de imortalidade, e é interessante observarmos como os Espíritos se utilizam desse símbolo da arte cristã para definir tal conceito de forma simples.
Os Espíritos apresentam a iconologia para a videira:
Porás no cabeçalho do livro a cepa que te desenhamos, porque é o emblema do trabalho do Criador. Ai se acham reunidos todos  os princípios materiais que melhor podem representar o corpo e o espírito. O corpo é a cepa; o espírito é o licor;a alma ou espírito ligado á matéria é o bago. O homem quintessencia o espírito pelo trabalho e tu sabes que só mediante o trabalho do corpo oEspírito adquire conhecimentos.
Na interpretação da gravura, os Espíritos destacam  que o homem quintessencia o Espírito, pelo trabalho, através das reencarnações, "o trabalho do corpo ".....a cepa significa a uva que se reproduz, nascendo, extinguindo-se e renascendo.
Quando encarnado o Espírito é a "alma ou Espírito ligado á matéria, ou seja, o bago. O bago aqui representa a reencarnação do Espírito, licor que fica confinado ao corpo físico. Na concepção espirita da imortalidade nós, Espíritos imortais, evoluimos por meio do trabalho do corpo, isto é, da reencarnação(L.E. perguntas 166 a 167)
(parte do texto de Magda Luzimar de Abreu, da Revista Reformador , da FEB, outubro de 2012)

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

MISSÃO DOS ESPÍRITAS EVANGELHO SEGUNDO O ESPIRITISMO






MISSÃO DOS ESPÍRITAS




Assim, os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos, porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos . (Mateus 20:16 e 19:30; Marcos 10:31; Lucas 13:30 ).




No século passado, após ter vivido no mundo corpóreo como discípulo de Paulo de Tarso, Erasto, agora integrando a equipe do Espirito de Verdade, vem dar a seguinte comunicação: Não ouvis já se agitar a tempestade que deve assolar o Velho Mundo e tragar no nada a soma das iniquidades terrestres? Ah! bendizei o Senhor, vós que haveis posto vossa fé em sua soberba justiça e como novos apóstolos da crença revelada pelas vozes proféticas superiores, ides pregar o dogma novo da reencarnação e da elevação dos Espíritos, segundo tenham bem ou mal cumprido suas missões, e suportado suas provas terrestres(ESE, Cap.XX, item 4)
Esta mensagem prenuncia assim os novos fundamentos de uma doutrina dinâmica, antidogmática e progressista, profundamente alicerçada no Evangelho de Jesus Cristo, e em cuja estrutura estão contidas as leis da reencarnação e do progresso incessante dos Espíritos.
No dia de Pentecostes, logo após a crucificação de Jesus Cristo, os apóstolos reuniram-se a fim de traçar diretrizes para que não se apagasse o facho de luz por ele trazido ao mundo. Sobre suas cabeças veio, como se fossem línguas de fogo, a chama viva de um idealismo puro, que fez com que neles dxesabrochasse a mediunidade comprobatória de que a mensagem do Cristo deveria ser levada a todos os povos, em todos os idiomas, num atestado eloquente de que a sua doutrina redentora tinha um cunho universal (Atos 2: 1-41).
Desse modo, o Espírito Erasto vem dizer que a centelha viva do mesmo idealismo está, como língua de fogo, pairando sobre as cabeças dos verdadeiros espíritas, numa demonstração viva de serem eles os depositários de um legado sublime, qual seja, o de levar a todos os quadrantes do mundo a Boa Nova do Espiritismo, doutrina do Cristianismo redivivo.
O Espiritismo encerra em sua estrutura o potencial necessário para conduzir a Humanidade ás suas relevantes aspirações. Ele não foi revelado com o escopo de suplantar ou destruir as demais religiões, mas com a finalidade superior de ajudá-las no prpósoto comum de comprovar a imortalidade da alma e de enfrentar uma luta sistemática contra as investiduras do materialismo desintegrador.
(Curso Básico de Espiritismo - Volume I - FEESP)

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

NATAL , NOITE SILENCIOSA

No silêncio da Prece, Preparo meu coração Pela Dádiva do Cristo.

Hoje recebemos uma dádiva de Deus, com estes dizeres: "Sou a Paciência. Quero estar presente em você durante o Natal."

Mormente no Natal precisamos de paciência. E esta dádiva preciosa deve estar mesclada de amor, para que não seja meramente uma paciência contida e externa. Devemos estar vigilantes e compreensivos, para ter paciência com a nossa impaciência, e paciência com os outros; paciência com as crianças e com tantas coisas que exigem de nós. Devemos ter paciência com aqueles que não estão atentos e nos dificultam as tarefas, com enganos.
Ao dar-nos, esta manhã o dom da paciência, o Divino como que nos diz: "Aceite esta dádiva preciosa e use-a do melhor modo possível." Com a paciência amorosa e compreensiva faremos com que este dia e, principalmente, a ceia de hoje a noite, sejam memoráveis. Com a felicidade e alegria de todos, veremos, depois que valeu a pena. E o CRISTO , Ele mesmo todo- paciência  e amor, - nos abençoará com alegria.
É muito fácil ceder aos impulsos do momento, mas o esforço amoroso da paciência dá-nos sensação de vitória e bem-estar.
"E deu a luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos e deitou-o numa manjedoura, porque não tinha lugar para eles na estalagem." - Lucas 2:7

( Leitura Diária - Ass.Unid. do Cristianismo)

Nota : Estive ausente por alguns meses, mas já estou de volta com a graça de Deus, para continuar este blog que traz a divulgação da Doutrina Espírita , de Allan Karde e mensagens edificantes de auto ajuda, diversas.
Desejo a todos um FELIZ NATAL E PRÓSPERO ANO NOVO .
MARIA SUELY

sábado, 7 de abril de 2012

LIVRO DOS MÉDIUNS - ESPÍRITO ; O PERÍSPIRITO, O CORPO FÍSICO


O ESPÍRITO

O Livro dos Espíritos, desdobrando o mundo espírita aos olhos dos home4ns, define os Espíritos como sendo " os seres inteligentes da criação" (LE cap.I, pergunta 76) que " são individualizações do princípio inteligente, como os corpos são individualizações do princípio material" ( LE, cap. 1 pergunta 79), e que são criados por Deus permanentemente, sem forma definida, para os encarnados, que se apresentam ao mundo espiritual como " uma chama, um clcarão ou uma centelha etérea " (LE cap. I pergunta 88). Todos são criados iguais e dotado de faculdades a serem desenvolvidas através das experiências reencarnatórias, que levam ao progresso da Humanidade.

 O PERISPÍRITO

Como corpo fluídoco dos Espíritos é o laço que prende a alma ao corpo, envoltório formado de fluídos ambientes.
Afirma Kardec (GE, Cap XIV, ítens 7 e 8 ) que o "corpo fluídico dos Espíritos é um dos produtos mais importantes do fluído cósmico" e diz que o corpo físico também dele se origina, apenas que mais condensado e transformado em matéria tangível.
A função do perispírito, como laço fluídico, é ligar, na encarnação, o Espírito ao corpo físico. Na morte deste, quando deixa de absorver o fluído vital, desfaz-se essa união. Assim, conclui Kardec, " não é a partida do Espírito que causa a mortte do corpo , mas a morte a morte do corpo que causa a partida do Espírito " (GE, cap. XI, item 18)
O perispírito é o " traço de união entre a vida corporal e a visão espiritual; é por ele que o Espírito encarnado está em contínua relação com os Espíritos; é por ele enfim, que se realizam no homem fenômenos especiais que não têm a sua causa originária na matéria tangível, e que por esta razão, parecem ser sobrenaturais" (GE, cap. 14 item 22)




O CORPO FÍSICO



O corpo físico é o reflexo do corpo espiritual, e este " retrata em si mesmo o corpo mental que lhe preside a formação ( André Luiz, em Evolução em Dois Mundos, Cap II, pág. 24).
O corpo do homem é um organismo aperfeiçoado através de longa evoluçãop. Seus órgãos foram adaptados, para executarem tarefas que só competem ás espécie humana. Essa evolução não se fêz ao acaso, nem só pelas leis biológicas, mas obedecendo a uma orientação do plano maior. Assim, o encarnado possui todas as possibilidades de atuação no seu corpo físico.
O Espírito está em constante interação com o corpo físico, e recebe através dele as mais variadas impressões, pelos órgãos dos sentidos.
( O LIVRO DOS MÉDIUNS - CURSO DE EDUCAÇÃO MEDIUNICA 1.º ANO - FEESP)

APRENDIZES DO EVANGELHO MOISÉS E O PENTATEUCO

O PENTATEUCO - MOISÉS

Por ser um povo de difícil trato e estarem sempre insatisfeitos, apesar de Deus prover todas as suas necessidades e auxiliá-los nas dificuldades, tiveram que vagar quarenta anos pelo deserto, a fim de que fôsse feita a purificação da raça. Os mais velhos, que haviam adquirido os costumes dos egípcios, não entraram na Terra Santa, falecendo no deserto.
Deus não castigava seu povo , ensinava-o a valorizar a riqueza espiritual e a ordem.
Moisés, sentindo-se no final de sua vida terrestre, escolhe Josué como novo líder e discursa ao povo falando do término de sua tarefa, da continuidade por Josué e, por fim , dá sua bênção a todas as tribos e sobe no Monte Nebo para ver a tão decantada TERRA PROMETIDA - CANAÃ . Estava com a idade de 120 anos quando morreu ( Deut. 34:7), deixando na história dos homens a marca de sua personalidade missionária, como líder de um povo , como legislador extraordinário e como " legítimo emissário do Plano Superior, para entregar ao mundo terrestre a grande e sublime mensagem da PRIMEIRA REVELAÇÃO ( O Consolador, questão 270 - Emmanuel)
Moisés não entra na Terra Santa e é enterrado no Monte Nebo por seu sobrinho ESSEM, que posteriormente deu origem á seita dos Essênios, segundo alguns.
O PENTATEUCO
É o nome que se dá aos cinco primeiros livros da Bíblia, e pode-se dizer é o livro da Lei de Moisés - a Torá, como é chamado na Bíblia Judaica.
Contém um conjunto de prescrições e ritos que orientam a vida moral, social e religiosa do povo judeu e se divide em cinco livros: GÊNESIS, ÊXODO, LEVÍTICO, NÚMEROS E DEUTERONÔMIO.
GÊNESIS - contém a história primitica; a criação do universo e do homem; o pecado original, e toda sua consequência até o dilúvio. Depois do dilúvio, tem-se início a ERA PATRIARCAL, e todo referencial genealógico das tribos que compôem a história do povo hebreu.
ÊXODO - neste livro encontra-se a libertação dos judeus do Egito; a ALIANÇA COM DEUS no Sinai, com o DECÁLOGO, a instituição das leis reguladoras da atividade social e religiosa ( leis sobre os servos, propriedades, deveres dos juizes, regras para o tabernáculo, etc.
LEVÍTICO - é o livro que regula as leis: o ritual dos sacrifícios de purificação e agradecimento; investidura dos sacerdotes; alimentação dos animais; purificação das mulheres após o parto e na menstruação; sobre a saúde e cuidados com a lepra;  sobre casamentos ilícitos, etc., com instituição de penas aos faltosos.
NÚMEROS - é o quarto livro de Moisés e refere-se ao recenseamento " de toda a congregação dos filhos de Israel.
DEUTERONÔMIO - é o quinto livro. Encerra um conjunto de três discursos de Moisés ao seu povo, contando a história de Israel, exortando-os ás obediência. Relembra os Dez mandamentos e as leis e da nova Aliança com Deus, etc.
( Curso de Aprendizes do Evangelho - volume I - FEESP)

Personalidades do Espiritismo Francisco Candido Xavier

Nascido em Pedro Leopoldo, região metropolitana de Belo Horizonte, era filho de Maria João de Deus e João Cândido Xavier. Educado na fé católica, Chico teve seu primeiro contato com a Doutrina Espírita em 1972, após fenômeno obsessivo verificado com uma de suas irmãs.
Passa então a estudar e a desenvolver sua mediunidade que, como relata no livro Parnaso de Além Túmulo, somente ganhou maior clarezaem finais de 1931.
O seu nome de batismo Francisco Cândido Xavier foi dado em homenagem ao santo do dia de seu nascimento, substituído pelo nome paterno de Francisco Cândido Xavier logo que rompeu que rompeu com o catolicismo e escreveu seus primeiros livros e mudado oficialmente em abril de 1926, quando da segunda viagem de Chico aos Estados Unidos. O mais conhecido dos espíritas brasileiros contribuiu para expandir o movimento espírita brasileiro e encorajar os espíritas a revelarem sua adesão á doutrina sistematizada por Allan Kardec. Sua credibilidade serviu de incentivo para que médiuns espíritas e não espíritas realizassem trabalhos abertos ao público.
Chico é lembrado principalmente por suas obras em Uberaba, cidade onde faleceu . Nos anos 1970 passou a ajudar pessoas pobres com o dinheiro da vendagem de seus livros, tendo para tanto criado uma fundação.

Neste mês de abril comemora-se o seu aniversário, exatamente no dia 02 de Abril. Escreveu mais de 451 livros, sendo 39 publicados após a morte. Nunca admitiu ser o autor de nenhuma dessas obras. Reproduzia apenas o que os espíritos lhe ditavam. Por isso, não aceitava dinheiro arrecadado com a venda de seus livros.
Partiu feliz, aos 92 anos de idade, em 30 de junho de 2002, ano em que o Brasil conquistava o título de campeão da Copa Mundia de Futebol. Sempre dizia que desejava partir num dia em que todos os brsileiros se sentissem muito feliz e assim não ficariam tristes com seu passamento.
( Portal Luis Nassif)


quarta-feira, 4 de abril de 2012

CANTINHO DO CHICO XAVIER






CANTINHO DO CHICO XAVIER





" Cremos que o Divino Mestre deu importância fundamental á Vida Eterna.

Cada existência nossa é naturalmente um passo para a conquista da Imortalidade Sublimada.

Imortais somos todos filhos de Deus, mas a sublimação é naturalmente aquele coroamento necessário que tão só ao nosso burilamemnto espiritual se pode atribuir.

Muitas vêzes , autoridades religiosas atribuem outra interpretação ás palavras do Senhor, quando Ele disse a Nicodemos:

- " Necessário vos é nascer de novo"

Sim, nascer de novo todos os dias, todas semanas, de ano para ano, de etapa para etapa mas, também, de vida em vida, de berço em berço"

( Chico e Emmanuel - Carlos A.Baccelli)